domingo, 9 de julho de 2017

S.H. Figuarts Alien Metron

Saudações.

Desta vez vou falar da versão S.H. Figuarts do Alien Metron, de Ultra Seven, feita pela Bandai.


1. Informações
5. Ação





1. Informações



O Alien Metron aparece pela primeira vez no episódio 8 de Ultra Seven, "A Cidade Ameaçada". Na cidade de Kitagawa, ocorrem incidentes com pessoas tendo estranhos surtos de fúria, atacando outros a esmo. E em outras regiões do Japão, acidentes são provocados por habitantes dessa cidade, entre eles o tio de Anne Yuri, do Esquadrão Ultra. Dan Moroboshi (Ultra Seven) investiga e descobre que isso se deve a um alucinógeno colocado em cigarros vendidos em uma máquina em frente à estação de trem da cidade.

Dan segue o supridor até um bairro residencial e dentro de um quarto alugado encontra o Alien Metron, que o recepciona de forma estranhamente cordial, sentado diante de uma mesinha de centro. O alienígena revela que esse é um plano feito para desestabilizar as relações de confiança entre os humanos de modo que eles mesmos se destruam e com isso Metron possa tomar conta de tudo sem fazer esforço.


Esse é um dos episódios mais memoráveis do seriado, com roteiro do grande Tetsuo Kinjô e direção do igualmente grandioso Akio Jissouji, com uma fotografia cheia de closes com pouca iluminação e um clima até detetivesco. A cena de luta foi bem curta, mas marcante, com o pôr do sol ao fundo e até hoje é famosa. Mas existem histórias bem interessantes por trás das câmeras.

O traje do Alien Metron foi entregue às pressas, totalmente branco. Ele teve de ser ser pintado na hora com o que tinha, que eram tintas em spray de cores que eram usadas mais para acabamentos em fantasias de monstros, como o vermelho, o amarelo e o azul. Seria por isso que o alienígena teria cores tão chamativas. E foi também para driblar esse atraso que a cena de luta foi feita tão curta e tiveram que colocar mais duração no drama investigativo. Todos esses incidentes foram superados com bastante técnica e improvisação e no fim o episódio se tornou um grande clássico, não só das séries Ultra, como também do Tokusatsu.

Metron tem a alcunha de "Alienígena Alucinógeno" (algumas vezes é "Alienígena Conversador") e seu nome vem de "metrô", nesse caso o trem subterrâneo, uma vez que ele conduzia seus planos escondido.

Na comemoração dos 40 anos de Ultra Seven, em 2007, o Alien Metron ganhou o prêmio de "Melhor Alienígena" do seriado, sendo que o "Melhor Monstro" foi o Eleking. Metron também foi premiado como o oponente mais lembrado do Ultra Seven, independente de ser um monstro ou um alienígena. 

O conteúdo da caixa. Desta vez estão incluídos acessórios, incluindo um que é indispensável para se falar do personagem.
... Falo sério.


2. Modelagem


Visão de corpo inteiro. O visual é bem exótico, lembrando algo vindo do mar. Trata-se de uma representação fiel, até com as pernas um tanto curtas, dando um aspecto bem simpático ao personagem. 

Close da cabeça. A parte da frente usa material transparente, muito bonita. Dá uma boa sensação de presença. De acordo com o próprio Metron no programa 怪獣散歩 (Kaiju Sanpo, "Passeio com os Monstros") com Alien Mefilas e Kemul, toda a parte em vermelho é o rosto dele.

Na parte da frente existem moldes que lembram os furinhos por onde o dublê Teruo Aragaki olhava através da máscara. 
Aragaki também vestiu as fantasias do Gamera, Radon, além de vários outros monstros e alienígenas de Ultraman e Ultra Seven.

Os olhos são escuros. No seriado eles eram brilhantes, mas isso não foi reproduzido nem com pintura branca.

A peça transparente tem uma gradação caprichada.

Na parte de trás existem essas protuberâncias que lembram ventosas. Talvez um dos motivos do desenho seja um peixe, a remora, mas nunca foi confirmado no que se basearam para compor o visual do alienígena.


As partes em amarelo se acenderiam de forma sequenciada quando o alienígena fala. A figura não tem essa característica. As bordas teriam pelos, que foram representados com moldes.

A figura tem uma textura que parece com tinta na superfície, fiel às imperfeições do traje original. 

Nas costas existem as protuberâncias e até um sulco que representa o zíper da roupa.  

Os braços, de formato peculiar. A pintura em gradação é bem feita e é possível notar membranas entre alguns... dedos (?). As partes brancas devem ser a coloração original da roupa. As pontas são feitas de material maleável e por isso menos propensas a quebra.

Dos lados das pernas existem moldes que lembram conchas. 

As pernas são bem simples, mas com moldes que representam as dobras nas botas. Elas foram feitas assim a pedido do diretor Jissouji ao designer Tohl Narita de modo que o ator pudesse se sentar com facilidade.


Comparação de tamanho com as versões Ultra-Act do Ultra Seven. Como dá para ver pela altura dos ombros, o tamanho não é consistente com essas figuras, mas devido à altura dá para enganar um pouco.


3. Articulações


Como é de se esperar, o pescoço quase não se move. 

Por outro lado, os ombros se movem bem. Os cotovelos têm um bom ângulo de fechamento. Os antebraços giram na ligação com o ombro, mas são um tanto limitados. 

O tronco se move pouco, porém se inclina bem para a frente. 

As coxas têm uma boa abertura e giram de modo a permitir que a figura se sente no chão com as pernas cruzadas.


Mas na prática é um pouco difícil e a perna direita se desmonta toda.


O negócio então é usar isso para mostrar melhor as articulações. As da coxa são extensíveis, mas o formato da perna prejudica um pouco essa característica.


Os joelhos têm articulações duplas e se dobrariam bem, se não fosse o formato da perna.

Mesmo assim a figura consegue ficar de joelhos.

Os tornozelos não tem muita mobilidade, embora seja mais do que aparenta ser possível.


4. Acessórios


A mesinha de centro, item indispensável ao se falar do Alien Metron. A cena com ele é antológica.

O maço de cigarros "item para representação do seriado" (por alguma razão é chamado assim nas instruções). A modelagem é muito bem feita, inclusive com a fitinha para abrir o pacote, assim como o "EE" tampografado. Só vendo esse item soube que existe essa logomarca no fundo.


Cigarros "Itens de representação do seriado" (mais uma vez chamados assim no folheto. Correção política?). São só dois bastonetes brancos, parecendo mais com giz. A ponta não tem cinzas e nem tem o filtro na outra.


5. Ação


- Oh, Ultra Seven! Seja bem vindo! Poderia ter trazido a oficial Anne junto. 
Metron é estranhamente cordial. 


- Nós percebemos que os seres humanos obedecem a regras estabelecidas entre eles, e com isso conseguem conviver baseados em confiança mútua. Não precisamos usar de violência. Basta usar um meio de desestabilizar essas relações. Eles passarão a ver uns aos outros como inimigos e se destruirão a si mesmos.
A cena em que Metron conversa com Dan Moroboshi e revela seu plano, sentado diante de uma mesinha em um quarto de aluguel se tornou famosa por sua surrealidade. 


Os dois se enfrentam no entardecer.



Metron avança, com um jeito de correr exagerado mexendo bastante os braços e pernas.

Os dois pulam e se encontram no ar.


Ao ver que sua nave foi destruída pelo Esquadrão Ultra, Metron tenta fugir.



Mas é cortado ao meio pelo Eye Slugger...



... e é destruído pelo Raio Emerium. Ao menos aparentemente.


"E esse foi o fim do plano de dominação do Alien Metron.
Um alienígena com um plano aterrador, que se aproveita das relações de confiança entre os seres humanos.
Mas fiquem tranquilos. Pois esta história se passa em um futuro muito, muito distante.
Qual o motivo? É porque nós humanos ainda não confiamos uns nos outros a ponto de sermos visados por alienígenas."
A narração no fim do episódio, com uma mensagem que ainda funciona 50 anos depois. Infelizmente...


O Alien Metron foi dublado por Shinji Nakae, que foi narrador nas séries Kamen Rider clássicas. É dele a voz que diz que o "Kamen Rider luta contra Shocker pela Liberdade de Humanidade".


Alien Metron não morreu. Ele reaparece no episódio 24 de Ultraman Max , "A cidade que não foi atingida (link para o capítulo inteiro no Crunchyroll)", dirigido pelo próprio Akio Jissouji.


Devido às campanhas anti-fumo, Metron teve que mudar sua estratégia. Desta vez ele tentou usar os telefones celulares ao emitir uma onda que faz com que os humanos involuam devido a atrofia do lobo frontal.


Kaito (Ultraman Max) descobre o esconderijo de Metron, que o recepciona no Armazém dos Monstros, da Tsuburaya Productions, diante de uma mesinha, com vários itens da Terra ao redor.


- Vamos jogar Jankenpô. Se eu perder vou embora. O que me diz?
- (Que tolo...)
- Falou alguma coisa?
- Não. Vamos lá.


- Jankenpon!


- Ah, que droga! Você conhecia o meu ponto fraco!
Assim como Baltan, Metron só consegue usar a "tesoura". E nessa cena, atrás dele tem um boneco do Baltan como referência a isso.


- Os humanos estão ficando cada vez mais indolentes, graças às novas tecnologias. E por isso logo eles se destruirão. Eu apenas tentei acelerar um pouquinho o processo. Mas na verdade não precisava fazer nada. Era só uma questão de tempo.
São mostradas cenas de jovens usando os celulares se comportando como idiotas, sendo comparados a macacos.


Metron fica gigante e enfrenta o Ultraman Max no entardecer, como foi com o Ultra Seven.
Nesta cena, o diretor Jissouji colocou o Max do lado desenvolvido da cidade e o Metron no lado preservado, mais parecido com a paisagem de 40 anos antes. Um bom contraste cheio de simbolismos.


Metron ameaça correr, movendo os braços e pernas freneticamente...


... mas faz isso sem sair do lugar. Sua intenção não é lutar.


-  O pôr do Sol da Terra é tão bonito!
Metron olha para o céu, mostrando que também passou a gostar deste planeta.


Mesmo assim ele dá tchau e vai embora em paz. Metron partiu por estar desiludido com as mudanças que ocorreram de uns tempos para cá.
Este episódio é continuação direta do de Ultra Seven. Ultraman Max na verdade não teria conexão com o mundo de Ultra Seven, mas segundo o roteirista, Yuji Kobayashi, desta vez "foi aberta uma exceção". O formato episódico ("omnibus") de Ultraman Max permitiu que isso fosse feito.


Surgiram outros exemplares de Alien Metron. Dois deles apareceram em um especial de TV de 1994 que seria sequência de Ultra Seven. No elenco estava Hiroshi Tsuburaya, neto de Eiji Tsuburaya, filho de Hajime e que foi o Policial do Espaço Shaider. Seu papel era como o Prof. Tonezaki, ludibriado pelos alienígenas.


Outro exemplar, de nome "Jayce", figura em Ultraman Ginga S, que se torna fã da cantora idol Chigusa, amiga de infância do protagonista Hikaru, e acaba ficando na Terra. Ele aparece no último capítulo torcendo pelo herói. Mais um, chamado "Tarde" surgiria em Ultraman Orb.


Fora das produções da Tsuburaya, Metron aparece no primeiro capítulo da 2ª temporada de Wooser's Hand to Mouth Life (link para o Crunchyroll), no meio da festa de recepção do mascote, e também na vinheta de encerramento, com mesinha e tudo.


Sua aparição mais recente foi no primeiro episódio de Kaiju Club (link para a matéria no Blog Sushi POP).
Imagem meramente ilustrativa, já que não tem figura do Ryouta.


Todas as figuras articuladas de Ultra Seven que tenho comigo. Até agora saíram os personagens "premiados", mas pela enquete que veio com o Alien Metron, devem sair mais.

- Então vamos fazer uma aposta. Vamos jogar Jankenpô. Se eu perder vou embora da Terra.
- Está certo, Metron. Sendo assim para nos representar vai a Cure Peace, a campeã de Janpenpô da HERO!
- Muito bem. Não tenho ressalvas.

- Brilha brilha brilha assim! Janken...

- PON!

- ?!?!?!
- Hein?!

- Er... Yayoi. Era para você ganhar e o Metron ir embora da Terra.
- É. Era só soltar a "pedra", já que ele só consegue soltar a "tesoura".
- Ah, não!

- Fica, Metron! Fica, vai!
- Hã... Está bem.
- É. Por essa eu não esperava.

- Ultra Seven. Ultraman Max. Eu decidi não mais destruir a humanidade. Pelo contrário vou protegê-la. Porque agora vi que existe algo de bom e puro nela que deve ser preservado.
- Muito bem, Metron. Então você pode ficar.


Dizem que Metron agora vende doces em Kitagawa, especialmente cigarrinhos de chocolate. Nenhum produto contém alucinógeno, mas uma certa cliente parece ficar eufórica com eles...


E esta foi a apresentação da versão S.H. Figuarts do Alien Metron, feita pela Bandai. A modelagem é magnífica e a pintura é excepcional, representando bem a textura da tinta do traje original. O uso de partes em material transparente é competente, até com a superfície rugosa da máscara, assim como os furinhos por onde o ator olhava. Só as articulações apresentam alguns problemas, como a perna direita que se desmonta ao se tentar fazer a cena mais famosa do personagem. O sistema foi bem pensado, feito especialmente para isso, mas o controle de qualidade poderia ter sido melhor. E queria que tivessem colocado uma textura branca no fundo dos olhos para fazê-los parecer brilharem. Mesmo assim é uma boa figura, que representa bem um dos alienígenas mais populares da franquia. Recomendável para os fãs.

8 comentários:

  1. Nobre Usys!

    Olha só que incrível esse review! Tudo show, desde a história do "por trás das câmeras" até a demonstração da figura. Muito nobre também dizer quem é o ator por baixo da roupa e que papéis ele também já interpretou.

    Achei engraçado que o vilão mais improvisado e feito nas coxas foi eleito o melhor alienígena! ideia genial a de "detetivizar" o episódio por conta da correria de não ter tudo pronto a tempo!

    Sobre a figura, a Bandai caprichou bastante. Novamente podemos ver os furinhos que eram as janelas do dublê e até o feixe do zíper também apareceu! Engraçado como cigarros são "itens de representação do seriado" hehehehe! Isso aí dá pra ser emprestado para várias figuras!!

    Achei legal o herói e o alien conversando numa boa, sem ter quebra-pau nem prédios destruídos. O bonequinho na embalagem transparente é bem interessante! Dá pra bolar muita coisa com esses acessórios aí!

    Até a próxima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Adelmo!

      A gente tem que dar o devido crédito a quem fica por trás das câmeras e também para quem veste aquelas fantasias e dão grandes performances sem mostrar o rosto. Eles tinham que se virar para lidar com os prazos. Só que a Tsuburaya acabou pegando fama de caprichar demais e com isso entregar tudo atrasado, o que foi bem prejudicial para a empresa.

      O design básico do Metron já era muito bom. Pintaram e resultou em outro personagem marcante. Desde pequeno já achava bonito. Outra coisa interessante é como o episódio tem algo a dizer mesmo nos dias de hoje.

      Eu me esqueci de dizer, mas aquele boneco do Baltan é um daqueles estojos para guardar balinhas Pez. Mais uma prova de que o Ultraman (ou melhor, o Baltan) faz parte da Cultura Pop do mundo! E até agora não entendi por que não chamaram aquilo de "cigarro" logo de uma vez...

      Excluir
  2. Show de review!

    Caramba, muito louco como um episódio que tinha tudo para dar errado acabou se tornando um dos mais populares! Isso mostra como a equipe de produção era criativa, conseguindo driblar os problemas e transformá-los em algo bom.

    Pelo visto esse Metron prefere seguir o estilo homem de negócios hehehe. Primeiro ele negocia, depois ele tenta a luta. Interessante que ele trata o assunto dos planetas como se fosse uma empresa que ele sabota nas sombras para depois comprá-la de barbada. Baita empresário sombrio, lembra até os casos brasileiros hahahaha!

    O que me chamou muita atenção nessa figura é que tem bem cara de uma pessoa vestindo uma fantasia. A textura e a pintura do traje realçam bastante esse aspecto. Legal que foram extremamente fiéis ao ponto de fazer o traje com as imperfeições reais. A cabeça ficou muito bem feita, curti muito a pintura. Minha dúvida é como ele faz para fumar um cigarro.

    Essa mesinha ficou espetacular! E o melhor é que pode ser aproveitada para um monte de cenas!
    Coitados dos personagens da série Ultra, Jankenpô não é pra eles...
    Bom, pelo menos ele vai ter clientela fiel com seus cigarrinhos de chocolate de efeitos desconhecidos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Ronin!

      Mais uma vez digo que na Tsuburaya o pessoal era muito criativo e tinha bastante engenhosidade. E pensando bem a gente ouve muitas histórias assim, de algo que acabou fazendo sucesso quando tudo indicava o contrário.

      O Metron mesmo não é lá muito forte. De fato, o Ultra Seven acabou com ele sem fazer quase nenhum esforço. Sendo assim ele usa a inteligência, o que pode ser muito mais aterrorizante. E no Max, o Metron até tinha um jeito de ganhar no Jankenpô, como ele mostrou em uma revanche. Ah, ele mesmo não fuma. Sua intenção é fazer com que outros fumem e fiquem violentos. Ou seja, o Metron é um tremendo de um traficante. O Freeza poderia tomar umas aulas com ele sobre ocupação de planetas, se não fosse tão impaciente.

      Agora eu finalmente tenho uma mesinha! Tinha um monte de coisas, mas não tinha uma bendita de uma mesa! Com o Metron esse problema foi resolvido. Se bem que eu precisava de uma maior, de refeitório mesmo.

      Os cigarrinhos de chocolate do Metron são normais. A cliente dele é que não é. Sabe como é, né? Esses cigarrinhos também aparecem no Max e com essa embalagem mesmo. Foi daí que eu tirei essa ideia.

      Excluir
  3. Olá ! Ótimo review como sempre ! Para min a cena de luta desse episódio até hoje e sem dúvidas a melhor ! Embora curta mas com uma fotografia incrível na qual em nenhuma série tokusatsu houve e não haverá...... Na dublagem da cine castro o Metron quando senta com o dan ele diz " Porque não trouxe sua amiga bonitinha" acho que era assim...preciso rever o áudio na fita cassete . lembra aquele monstro dos Changeman na dublagem chamado de " Genium" ? No original ele se chama " Baruruka " tem o visual claramente inspirado no Alien Metron .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita!

      Akio Jissouji tem uns ângulos de câmera muito bons,com histórias quase oníricas, parecendo ilusões, como ele demonstrou em Ultraman Tiga. E ele conseguiu fazer bem em Ultraman Max, tendo à sua disposição as técnicas e tecnologias atuais. Essas tomadas, apelidadas de "angulação Jissouji" são bem difíceis de se imitar. Talvez com uma lente grande-ocular...

      Outro monstro que é bem parecido com o Metron é o Sweets Dopant, que aparece em Kamen Rider W. O visual do Metron influenciou muitos. E acho que em Changeman tem outro que se parece com o Alien Mefilas.

      Essa da dublagem eu nem me lembrava. Como deu para ver, desta vez o Ultra Seven trouxe duas "amigas bonitinhas".

      Excluir
  4. Sensacional essa figure do Alien Metron. Essa mesinha e esses cig... digo, acessórios são indispensáveis para um personagem tão marcante das séries Ultra.

    Ainda me impressiono com a visão de futuro que a produção tinha na época de Ultra Seven quando assisto ao episódio 8. A mensagem é marcante e por sinal eles acreditavam que a humanidade seria mais pacífica anos/décadas mais tarde. Mas ainda há barreiras, sem contar que temos mais e mais guerras a fio. O que é lamentável. Por outro lado, isso faz com que Ultra Seven continue sendo uma série atual e respeitável.

    Quando assisti ao Ultraman Max pela primeira vez eu estranhei a ligação com Ultra Seven, no episódio 24. Acho que não só a "exceção" ajudou, mas também o tom carismático da série permitiu isso. Já que originalmente Max se passa num universo diferente da cronologia de M-78 (Man, Seven, Jack, Ace...). Talvez o universo de Max seja o mais estranho em comparação aos demais.

    Abraços. Dyuwah!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, César Filho!

      Shozo Uehara já dizia que um dos grandes temas que são atemporais são as ligações entre as pessoas e algo que as sempre é amedrontador é como elas podem ser abaladas. Acho que foi aí que ele aprendeu isso. E pensar que em Devilman, de Go Nagai, foi usado um plano com esse mesmo princípio e que teve sucesso.

      Para entender o Max, assim como o Ultraman e o Ultra Seven, é preciso ter em mente o conceito do "omnibus", em que todas as histórias são soltas e não têm ligação uma com a outra a não ser os personagens. Não há uma linha de história que permeia todos os episódios, que podem ser vistos em quase qualquer ordem, sendo que cada um é independente dos outros. Mas foi isso o que deu liberdade para que cada equipe fizesse as coisas à sua maneira, segundo Yuji Kobayashi. O livro dele foi bem esclarecedor nesse sentido.

      Excluir