domingo, 13 de maio de 2018

Quero me encontrar com o Ultraman - Shushutorian Ep. 40

Saudações.

Desta vez vou falar do episódio 40 de Shushutorian, no qual as super heroínas do título se encontram com o Ultraman. Abaixo segue um resumo e impressões, assim como algumas divagações.

Soube através do Twitter, pelo aficionado por Tokusatsu Ricardo Cerdeira que iriam exibir esse episódio no Canal oficial da Toei no YouTube por tempo limitado. Nem me lembrava dele e fui conferir. 


有言実行姉妹シュシュトリアン (Yuugen Jikkou SISTERS SHUSHUTORIAN, algo como "Dito e Feito"; ficaria "Irmãs de Atitude" em uma tradução rudimentar) foi exibido no Japão em 1993 e foi a última das Fushigi Comedy Series da Toei. A mais representativa dessas séries seria Estrela Fascinante Patrine, que passou no Brasil (confira a matéria no Super AHAM!).

É o Ano do Galo no Horóscopo Chinês. As irmãs Yukiko, Tsukiko e Hanako Yamabuki são incumbidas (a contragosto) por Tori, o Deus Galo, a proteger a paz no mundo durante seu ano vigente. Para isso, ele (ao menos) dá a elas superpoderes para que se transformem nas guerreiras Shushutorian. Mas isso deve ficar em segredo, caso contrário elas virarão frango assado(!). E no sentido literal da palavra (!!!).

Assim, as irmãs (relutantemente) têm de resolver os casos mais estranhos nas cidade, envolvendo objetos que ganham vida por algum ódio que eles têm pelo mundo e outras situações bizarras. Em sua pose de apresentação, elas fazem citações a frases famosas de grandes personagens da história, que são explicadas pelo Homem Frango Frito (obs.: tradução literal), o mensageiro de Tori.

Obs.: Contém revelações sobre os rumos da trama.




"Quero me encontrar com o Ultraman", em uma tradução rudimentar.

É noite. As irmãs Yamabuki vêem uma estrela cadente e cada uma delas faz um pedido. Hanako pede para um dia comer lagosta. Yukiko quer um namorado. E Tsukiko, porém, faz um pedido inesperado: ela quer se encontrar com o Ultraman. Suas irmãs acham estranho e a chamam de coisas como “otaku” e nisso surge outra estrela cadente, maior, que cai nos estúdios da Tsuburaya Productions. Isso é presenciado, no Armazém dos Monstros, por um homem que fazia a manutenção das fantasias. Um homem estranhamente familiar… 

As três irmãs fazendo um pedido às estrelas. Yukiko verifica se Tsukiko não está doente por falar como um "otaku", algo que não era bem visto na época.
Um homem estranhamente familiar.

No dia seguinte, a família Yamabuki sai para comer lagosta, uma grande conquista. Mas de repente, eles são atacados pelo Alien Baltan. E não é só ele. Garamon, Eleking e muitos outros monstros põem a cidade em polvorosa.

Vieram comer lagosta, mas quase são comidos pelo Baltan...?
Este não é Pigmon, mas sim Garamon, que é mais mal-encarado.
Eleking ataca um fliperama para comer um pouco de energia elétrica.

Ao fugir do Alien Baltan, as irmãs encontram o monstrinho Booska, que estava comendo em (assaltando) uma casa de lámen e foi abordado por um policial. O homem misterioso da Tsuburaya Productions chega a tempo para intervir e segurar as pontas enquanto Booska e as meninas fogem.

Bárasa! Bárasa! Primeiro foi aquele cara esquisito de vermelho! E agora a polícia também quer me matar?!

Depois de despistar a polícia, o monstrinho às leva para o lugar que ele chama de sua "terra natal", a Tsuburaya Productions e lá eles se encontram com o homem que as ajudou. Segundo Booska, ele é seu médico, o "Tio Monstro", que por sua vez as leva para o Armazém dos Monstros e conta sobre seu ofício após despistar mais policiais que vieram investigar. E Booska explica que ganhou vida após ver uma enorme luz, a mesma que veio da estrela cadente da noite anterior.

O Tio Monstro, que tem em seu peito o símbolo da Estrela Cadente. Pensar que na verdade ele é o segundo a usar esse nome.

O Tio Monstro se preocupa com a situação atual em que os monstros estão atacando a cidade e se isso não fará com que eles sejam odiados pelas pessoas. As irmãs, ou melhor, Tsukiko se oferece para ajudar. Após encurralá-los à beira de um rio, as irmãs e Booska convencem os monstros a voltar.

As meninas fazem o que podem
- As crianças também gostam dos monstros! Vamos ser amigos!

Mas surge o Alien Baltan que faz com que eles fiquem violentos de novo e ataquem a Tsuburaya Productions. Tsukiko e suas irmãs se transformam e vão para impedi-los.

A Tsuburaya é atacada pelos monstros.
Surgem as Shushutorian!
- Já dizia Dan Moroboshi: A guerra é uma triste e sangrenta maratona sem fim!
- Essa luta não tem sentido!
- Voltem ao Armazém dos Monstros!

Os monstros se afastam e atraem as meninas e Booska a um campo, onde finalmente começam a lutar. As Shushutorian eventualmente vencem, restando apenas Baltan, que também é derrotado pelo golpe especial Kurenai Tsumuji Kaze. Mas Baltan fica gigante e ataca as Shushutorian, que ficam em desvantagem.

Meninas Mágicas vs Alienígenas e Monstros! Uma luta improvável?
Yuugen Jikkou! Kurenai Tsumuji Kaze!
Vitória!
Mas isso é Toei! O inimigo fica gigante ao ser derrotado!

Tsukiko chama pelo Ultraman. Nisso, como que ouvindo seu apelo, o Tio Monstro saca de seu bolso um artefato, a Cápsula Beta e a aciona, revelando sua verdadeira identidade: ele mesmo era o Ultraman.

Quando as Shushutorian estão em perigo, Hayata O Tio Monstro usa a Cápsula Beta!
Ele chegou! O nosso Ultraman!
A máscara é mais próxima da Type B.
Com direito à música-tema no fundo!

O Ultraman chega para enfrentar Baltan e lança um raio de sua Luz de Aviso que faz com que as Shushutorian também fiquem gigantes para ajudá-lo. Uma grande luta tem início e finalmente os heróis vencem usando um ataque combinado.

Tsukiko não perde a oportunidade!
Ultra Spacium Shushu Final!

Ultraman então parte, levando os monstros de volta para M78, pois eles são grandes demais para ficar na Terra. Depois disso tudo, Tsukiko vai à Tsuburaya Productions para se encontrar com o Tio Monstro, mas ele não está mais lá. Segundo um funcionário chamado Kazuo, o Tio Monstro simplesmente desapareceu depois daquele incidente e que talvez tivesse retornado à sua terra natal. Tsukiko o procura no Armazém dos Monstros e o vê junto com Booska, mas é apenas sua imaginação.

O Tio Monstro e Booska agora só vivem dentro de nossos corações. Mas eles voltarão.

Ao deixar o Armazém para trás, Tsukiko finalmente se dá conta da verdadeira identidade do Tio Monstro, que não está mais lá. Ele tinha deixado a Terra para voltar à sua Estrela, que brilha no entardecer...

Você também pode ver a Estrela de Ultra.


Já dizia Tohru Hirayama: "Não somos rivais, mas apenas gente que gosta das mesmas coisas"


Este é um episódio que foi bastante comentado na época por unir heróis de duas empresas diferentes. As tratativas haviam começado desde as filmagens do especial em vídeo Ultraman VS Kamen Rider, durante a festa de encerramento. O então Chefe do Setor de Vendas da Tsuburaya Productions, Kazuo Tsuburaya, era fã da série e conversou com o produtor da Toei, Jun Hikasa, para fazer um episódio nesse sentido. O acordo foi feito e a Tsuburaya concordou em dar todo o apoio necessário nas filmagens, inclusive oferecendo a sede da empresa para as filmagens, assim como as fantasias e efeitos sonoros.

Baltan aparece com sua risada e um som de fundo característicos.
Aparentemente é a fantasia usada em Ultraman 80, mas sem o "focinho de porco".
Além dele estão Gomora, Dada,  Garamon e Eleking.
Gomora tem uma cor diferente, semelhante ao que mais tarde seria o modo Rayonic Burst. Dada tem o corpo cinzento.
Os mecanismos dos olhos de Garamon ainda funcionam, dando expressividade. Os outros monstros usam expressão corporal.
As "vozes" são as mesmas dos originais, mas em uma cena, Eleking acaba urrando como Miclas devido a um erro.

Para interpretar o "Tio Monstro" foi chamado Susumu Kurobe, que foi o Hayata na série original Ultraman. E Booska foi interpretado por sua dubladora original, Kazue Takahashi. A antiga sede da Tsuburaya em Kinuta foi usada nas filmagens do episódio e os figurantes realmente trabalhavam lá.

Os figurantes desta cena eram funcionários de verdade da Tsuburaya.
O próprio Kazuo Tsuburaya participa como ele mesmo.

O roteiro foi de Junki Takegami, veterano do ramo, que proporcionou uma história que mistura bem os elementos da Toei com os da Tsuburaya. Ela tem seus furos e erros de continuidade, mas é compensada pelo respeito às séries Ultra.

Isso é demonstrado na cena em que é explicada a razão pela qual o Tio Monstro trabalha na Tsuburaya. Segundo ele, seria como reverência aos espíritos dos monstros, que nas séries seriam inimigos do Herói, mas que também dão sonhos para as crianças e na verdade não são maus. Por isso ele faz com que eles tenham um sono tranquilo no Armazém dos Monstros, cuidando para que não se deteriorem. Isso é parte do espírito da Tsuburaya, no qual os monstros também são Astros com a mesma importância do Herói. Mais do que isso, o de dar sonhos e esperanças para as crianças, que é o que está escrito na placa da entrada da empresa.

Cena com forte carga simbólica. O espírito da Tsuburaya vive na forma do Tio Monstro.

A "Lei de M78" é mencionada mais uma vez, quando o Tio Monstro usa a Cápsula Beta e se transforma no Ultraman. Segundo ele, se fizer isso não poderá mais ficar na Terra. Um conceito que deveria ter sido introduzido em Ultra Seven, mas só foi apresentado de fato em Ultraman Ace.

Uma decisão difícil.

O motivo pelo qual Baltan ataca os humanos é bem simples e até adequado ao mundo de Shushutorian. Segundo ele, os Baltans seriam a raça mais poderosa do universo e agora que ressuscitou nesse mundo, irá dominar o planeta no lugar dos humanos barbáricos que comem seres iguais a ele, como lagostas e camarões. Com um motivo tão besta para se iniciar uma guerra, a citação à frase de Dan Moroboshi ganha sentido e se integra ao contexto. E isso também se conecta ao desejo de Hanako de comer lagosta. Uma boa linha de narrativa de Takegami, mesmo considerando  que o episódio foi feito às pressas.

Mas Baltan, você não era uma cigarra?

A direção foi de Takaharu Saeki, que trabalhou em várias séries Tokusatsu. Na Tsuburaya foi em O Regresso de Ultraman e Fireman. Na Toei, Saeki participou de vários seriados dos anos 1970 e das Fushigi Comedy Series, sendo que ele foi o diretor principal em Estrela Fascinante Patrine. Neste episódio ele fez jogos de cena muito bons, como na luta gigante, com ângulos emulando as séries Ultra. E a cena final, com um clima e uma canção melancólicos também remete a essas séries. A fotografia da cena final com Tsukiko olhando para a Estrela de Ultra em especial é muito bonita.

Como que lembrando o episódio em que Fuji fica gigante.
Deixando o Armazém dos Monstros. Uma sensação de melancolia, mas gostosa.

Na verdade, esta não é a primeira vez que os Heróis Ultra contracenam com Meninas Mágicas. Nos anos 1970, Ultra Seven apareceu como convidado especial em um episódio da segunda versão do seriado Comet-san, com Kumiko Ohba, exibido em 1978. E em outro, aparece Ultraman Taro como um antigo namorado da personagem-título. Após se separar de Koutaro Higashi, ele volta mais uma vez à Terra, assumindo outra forma humana. Mas acaba tendo de voltar a M78 após ter sua identidade revelada. Mais tarde em outro episódio, o Ultraman Leo também aparece, interpretado pelo ator original Ryu Manatsu e acaba tendo de deixar o planeta pelo mesmo motivo.

Esses eventos não fariam parte da cronologia oficial, mas são encaixáveis e explicariam por que eles deixaram a Terra. Especialmente Leo, que decidiu ficar por aqui no final de sua série. Todos esses episódios foram escritos por Bunpei Ai, que participou de Taro e Leo.

Ultra Seven em Comet-san
Imagem de um anúncio da Amazon Japan.

Com  isso tudo, foi proporcionado um episódio-modelo de como deve ser um cross-over de Heróis. Todos têm a mesma importância e participação. O Ultraman não está lá só para figuração ou apenas para dar o tema e luta ao lado das Shushutorian, até com direito a um golpe combinado. Esse episódio foi exibido exatamente no período do hiato entre Ultraman 80, que terminou em 1980 até Tiga, de 1996. Ou seja, foi a volta do Ultraman à TV em uma história completa. Ainda por cima em um episódio altamente satisfatório, misturando os estilos da Tsuburaya e da Toei de forma integrada. Com isso foi realizado um desejo de muitos fãs das séries Ultra, a começar pelo título do episódio.

O sorriso de uma fã satisfeita. E provavelmente de muitos outros que viram através da telinha.

Pensando bem agora, Tsukiko se encontrou com o Ultraman e Hanako teve sua chance de comer lagosta. Só a Yukiko que acabou sem achar um namorado...



Extra: Material da Época


Vi esse episódio sentindo muita nostalgia, uma vez que eram mostrados vários aspectos dos anos 1990. A própria qualidade de imagem é característica da época, sem tanta definição (ao menos para os padrões atuais) e efeitos de montagem que pareceriam datados. O penteado das meninas é bem parecido com o de cantoras idol que então faziam sucesso, como as Wink, especialmente na franja, só com alguns fios formando uma lombada. E também tem a cena no fliperama, com cabines do tipo Astro City da Sega, que foram trazidas para o Brasil por várias empresas, entre elas a SNK quando ela veio investir no nosso país.

Cena da abertura, com Tori saindo da televisão. Ele fica bem destacado e dá para ver que é uma montagem.
Note as franjas das meninas, só com alguns fios, formando uma lombada. Um penteado típico da época.
Antes de existirem Lan Houses, era nesses lugares que os amigos se reuniam para jogar. No Brasil tinha as Locadoras de games.
Atualmente nem é preciso sair de casa ou mesmo ter contato direto com outras pessoas. Na verdade nem amigo precisa ser...
Briga entre duas "Obatarian", como são descritas nos créditos.
Essa era uma gíria que designava mulheres de meia idade que não tinham boas maneiras.

E também é possível ver como era a antiga sede da Tsuburaya Productions, localizada em Kinuta, o lugar onde foram feitas as primeiras séries Ultra. A empresa se mudou do local em 2005, passando a usá-lo apenas para guardar fantasias e para desenvolvimento de efeitos visuais com computação gráfica. E em 2008, foi devolvido à Toho e agora acomoda um prédio de apartamentos na horizontal.

Entrada, com um boneco do Ultraman balançando uma bandeira.
A emblemática estátua do Ultraman.
Enorme máscara instalada no interior.
Dentro do Armazém dos Monstros, visitado por um estudante do colegial chamado Yuji Kobayashi, que se tornaria roteirista.


Extra 2: Trívias

  • "Shushutorian" vem de duas palavras: chouchou, que em francês significaria "gracinha" (algo próximo ao nosso "chuchu"), e tori, que designaria o Galo do zodíaco chinês, usando-se o ideograma 酉, também juntando com a palavra em inglês "trio" (significado igual ao do português). Daí colocaram "an" no final para soar melhor.
  • Este episódio foi o último da série a ser filmado (não foi o último capítulo da série). Quando as tratativas foram feitas, a série já estava no final e o roteiro foi escrito às pressas. O seriado tinha previsão para ter 39 episódios, mas foi preciso prorrogar até que o programa seguinte ficasse pronto e o episódio com o Ultraman foi feito depois de mais dois extras. E ainda, Shushutorian foi a última das chamadas Fushigi Comedy Series, que faz com que este seja o episódio de encerramento.
  • Kei Ishibashi, a Tsukiko, mais tarde participou de várias das séries Ultra. Em Ultraman Tiga, ela foi Mayumi, irmã do oficial Tetsuo Shinjo (Shigeki Kagemaru), também participando de todos os filmes e especiais com o Herói e reprisando esse papel na série seguinte, Ultraman Dyna. Em Ultraman Gaia, ela foi a oficial Kei Tadano, do time Crow. E em Ultraman Mebius, interpretou a Drª Asami Fujisawa, além  de outros papéis, como em Ultra Q dark fantasy e Ultra Zone. Há quem diga que Kazuo era fã de Ishibashi e esse foi o motivo principal desse episódio colaborativo. O fato é que ela participou de todas essas séries.
  • Noriko Tanaka, a irmã mais velha Yukiko, participou de um episódio de Ultraman Tiga, no papel da cantora alienígena Maya Cruz, cujo irmão teria se apossado do corpo do oficial Shinjo. Ou seja, de certa forma Kagemaru foi "irmão" de duas das Shushutorian.
  • Satomi Hirose, a Hanako, mais tarde foi a Tsuruhime/Ninja White, no seriado Super Sentai Kakuranger e no episódio 35 faz várias referências a Shushutorian junto com Tanaka e Ishibashi, que apareceram como convidadas especiais.
  • Kazue Takahashi, a dubladora do Booska, fez a voz do E.T. na versão japonesa de E.T. - O Extraterrestre. E no episódio existe uma cena que faz referência ao filme. É citada uma frase, "We are not alone", que na verdade seria de Contatos Imediatos do Terceiro Grau.
  • Kazuo Tsuburaya é filho de Noboru Tsuburaya, o então presidente da empresa e neto do Grande Mago dos Efeitos Especiais do Japão Eiji Tsuburaya. Kazuo mais tarde sucedeu seu pai no comando da empresa, que terminou tomada das mãos de sua família. Tudo isso é contado em um livro escrito por seu primo, Hideaki Tsuburaya, que atribui à gestão desastrada de ambos a culpa disso ter acontecido (embora aparentemente tenha sido benéfico).
  • Em uma misteriosa coincidência, o roteirista Junki Takegami trabalhará como um dos Compositores de Série de Ultraman R/B (Ruebe), a mais nova da franquia (saiba mais no Blog Sushi POP), que estreará em 07/07/2018.

4 comentários:

  1. Fala, Mr. Usys!

    Que bacana esse episódio! Eu assisti muitos anos atrás esse episódio. Como eu não era familiarizado com o estilo da Shushutorian, não aproveitei muito. Foi um crossover totalmente inusitado e igualmente respeitoso, o que deixa tudo mais legal ainda.

    Era uma época de baixa da Tsuburaya e eu me lembro de uma entrevista do Susumu Kurobe, acho que em 1994, em que ele se dizia muito velho para voltar a fazer o Hayata "pra valer". Quem diria que ele usaria a Cápsula Beta até 2012, hein. O Mebius, em 2006, fez ele voltar com tudo ao papel, mesmo já bem idoso. Apesar da última aparição ter sido no Ultraman Saga (2012), considero a despedida digna dele o Megabatalha na Galáxia Ultra (2009). Lá ele está impecável como um herói maduro e capaz de encarar qualquer desafio. Aliás, ele e o Dan.

    E eu vi o episódio de Kakuranger com a homenagem a Shushutorian. Foi um belo episódio, que eu curti muito, mesmo eu conhecendo elas só pelo encontro com Ultraman. Esse tipo de homenagem, quando bem feita, é capaz de arrancar um sorriso mesmo do espectador mais chato (tipo eu, eh eh).

    Muito legal saber das curiosidades de bastidores. Dão um sabor especial ao que se vê na tela.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Nagado!

      Essa foi a primeira vez que eu vi e gostei bastante. Tinha lido uns tempos atrás sobre essa do Kazuo Tsuburaya ser fã da série, mas só agora pude pesquisar um pouco melhor. E fiquei mais surpreso ainda ao ler o currículo das atrizes! Nem tinha me ligado que a Tsukiko era a Mayumi.

      O mundo dá voltas bem inesperadas. E pensar que anos mais tarde o Kurobe não só voltaria a ser o Hayata como também se reuniria com o pessoal da Patrulha Científica em várias ocasiões. Em Saga ele realmente apareceu muito pouco e vamos ver se essa vai ser a última vez mesmo. Vai que ele volta no filme do R/B? Não dá para prever o futuro.

      O que achei legal é que esse episódio tem aquele ar "tosco" e cômico dessas séries, mas ainda assim faz as homenagens de forma devida. O Ultraman não é ridicularizado e a essência é trazida direitinho. Se eu tivesse visto na época era bem provável que não entenderia o espírito da coisa, mas agora com mais conhecimento deu para ver essas nuances e perceber que foi muito bem feito. E espero que façam mais um nesse sentido.

      Excluir
  2. Que texto fantástico, Usys! Gostei muito de saber de todas as informações a respeito desse episódio tão inusitado, além de outras curiosidades (fiquei muito curioso com esse episodio de Comet-San).

    Já tinha visto esse episódio há muito tempo, mas o meu japonês da época não permitiu aproveitar muito (não que meu conhecimento da língua japonesa tenha melhorado muito desde então). Como você escreveu e o Nagado também observou, a trama foi respeitosa com o Ultraman, sem deixar de lado o humor absurdo característico das Fushigi Comedy.

    Me pergunto qual era o pensamento dos aficcionados por Ultraman quando esse episódio saiu. Eram 13 anos após a última série totalmente japonesa, 9 anos após o Ultraman Story... nesse meio tempo os heróis de M-78 só haviam aparecido em co-produções estrangeiras.

    Aí em 93 temos essa aparição do Ultraman em Shushutorian, o especial com os Kamen Riders e a retomada da produção de uma série pela Tsuburaya com Gridman. Acredito que tenha sido um período de grande expectativa de ressurreição dos Ultras por parte dos fãs.

    Por fim, é interessante notar que as referências a Ultraman por parte da Toei não se limitaram a essas duas. Tivemos a participação do Ultraman Taro em um episódio do anime dos Imagins. E o roteirista Narushisa Arakawa usou figuras totalmente inspiradas nos Ultras como vilões no episódio 8 de Abaranger e no 12 da segunda temporada de Akibaranger.

    Aliás, gostaria muito de ver um Ultra escrito pelo Arakawa, que tem "O Regresso de Ultraman" como série de cabeceira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Ricardo!

      Ah, ia ser muito bom uma série Ultra escrita pelo Arakawa! Fiquei imaginando quem iria escrever a próxima série quando ela ainda não tinha sido anunciada e pensei em vários nomes. Mas me esqueci completamente dele, que poderia ser uma ótima escolha. Quem sabe no ano que vem?

      Imagino que foi um tremendo choque para os fãs da época poder ver o Ultraman de novo na TV. De fato nessa época a Tsuburaya estava dando sinais de que iria se reerguer e foi o que aconteceu, ainda que segundo Hideaki Tsuburaya, de forma ilusória. E fico pensando em como o produtor Hikasa aprovou a ideia e fez todos os arranjos para filmar esse episódio, já que estava quase tudo terminado. Pelo menos o Takegami conseguiu escrever algo bom a tempo e o Saeki coordenou bem os trabalhos dentro de um prazo apertado.

      Um dia queria ver esses episódios de Comet-san. Especialmente o que aparece o Leo, já que se passa depois do seriado. O do Taro parece ser bem engraçado. Já o Seven apareceu mais por aparecer mesmo. Conheci uma professora mexicana que era fã do seriado, mas nunca soube se era a primeira ou a segunda versão. Devia ter perguntado.

      Excluir